Boletim Informativo ARAL

Caros Sócios,

No final de mais um ano letivo damos a conhecer um novo número do boletim informativo da ARAL.

Alterámos todo grafismo e um pouco a forma de comunicar, queremos estar cada vez mais próximos e interventivos. Temos como objetivo que este seja um espaço de partilha de opiniões e novidades do território da Alta de Lisboa, pelo que convidamos todos a contribuírem com o envio de sugestões, fotos e textos!

Aceda ao boletim através do seguinte link:
http://issuu.com/aralumiar/docs/boletimaral_atualizado/0

também disponível em:

BoletimARAL

Há muitas Memórias com Vida para partilhar na Alta de Lisboa

Todos os dias ouvimos histórias antigas através dos mais velhos, como era festejada a passagem de ano no seu antigo bairro, como era passado o Natal e outras épocas festivas. Ouvimos frequentemente “Lá no meu bairro fazíamos…. “ e você o que fazia no seu antigo bairro? Quantas vezes já contou as suas histórias mais especiais passadas no bairro aos seus vizinhos, filhos ou netos?

São estas histórias recordadas pelos moradores que fazem parte daquilo que hoje são as pessoas do bairro e a comunidade em que vivem. Fazem parte da história passada, mas influenciam aquilo que é vivido hoje. É importante partilharmos estas histórias tão ricas, para que elas não se percam e passem de geração em geração.

Não queremos que a história se perca, mas queremos sim, criar um fio do tempo rico em recordações e factos que construíram e continuam a construir, dia-a-dia, a nossa história e a de todos aqueles com quem vivemos. É esta noção de partilha que faz crescer um verdadeiro sentimento de pertença ao bairro.

O site Memórias com Vida tem vindo a reunir estas histórias e registos fotográficos. Podem visitá-lo em http://www.memoriascomvida.org. Mas queremos mais, mais fotografias, mais histórias, mais partilhas de datas importantes, aniversários, figuras carismáticas…

Envie-nos essas recordações, partilhe as mesmas connosco através do email memoriascomvida@gmail.com, ou na sede da Associação de Residentes do Alto do Lumiar, na Rua Luís Piçarra 5A-B.

Estamos ansiosos por saber que histórias têm para nos contar!

Bairro de Letras – Almeida Garrett

Relembramos hoje no Bairro de Letras Almeida Garrett, nasceu no Porto em 1799 e faleceu em Dezembro de 1854 em Lisboa.

È provavelmente o escritor mais completo do século XIX, deixando-nos obras-primas na poesia, teatro e prosa, inovando na escrita e na composição de cada um destes géneros literários.

“Imaginar é sonhar, dorme e repousa a vida no entretanto; sentir é viver activamente, cansa-a e consome-a.” Almeida Garrett

Bairro de Letras: Apresentação do livro “Ajudem-me a Estudar!”

Tivemos ontem um final de tarde bastante agradável na sede da ARAL com a apresentação do livro Ajudem-me a Estudar!. O encontro entre as Autoras (Bárbara Mourão e Diana Almeida), Professores das escolas locais (Rita Soares e Maria Catarré) e a Comunidade gerou uma agradável conversa, durante a qual tivemos oportunidade de assistir apresentação das técnicas descritas no livro a par de comentários das Professoras presentes, que contextualizaram as referidas técnicas face à realidade de ensino na Alta de Lisboa.  Tratou-se igualmente de uma oportunidade para alguns Encarregados de Educação colocarem questões sobre estas técnicas e metodologias.

A ARAL, através deste seu novo projecto – Bairro de Letras – conseguiu alcançar mais um dos seus objectivos: a realização do primeiro de muitos outros eventos, onde se deu e dará primazia ao livro, à cultura, às novas aprendizagens e aos momentos lúdicos e de lazer.
Resta-nos agradecer a todos os presentes pela presença e em especial às autoras, professoras e encarregados de educação presentes, esperando que este final de tarde tenha contribuído para alargar o conhecimento de todos.

Bairro de Letras: David Mourão Ferreira

David Mourão Ferreira é o nome de uma das ruas da Alta de Lisboa mas também de um dos melhores poetas contemporâneos do século XX. Nasceu em 1926 em Lisboa e licenciou-se em Filologia Romântica pela Faculdade de Letras de Lisboa onde mais tarde foi professor. Foi autor de grandes poemas como Barco Negro cantado por Amália Rodrigues. A sua carreira profissional foi de uma diversidade imensa, tendo trabalhado para o Seara Negra e Dário Popular, tendo sido também director do jornal  A Capital e director adjunto do O Dia. Foi Secretário Geral da Cultura de 1976 a 1979 e em 1977 assinou o despacho que criou a Companhia Nacional de Bailado.
Recebeu o Grau de Grande Oficial da Ordem de Santiago de Espada, o Prémio de Carreira da Sociedade Portuguesa de Autores.
Faleceu a 16 de Junho de 1996.

http://cvc.instituto-camoes.pt/figuras/dmferreira.html