Campanha de Recolha de Leite e Cereais para Campo de Férias Verão 2017

No âmbito do Campo de Férias de Verão 2017, que pretende dar resposta a mais de 50 crianças/jovens da comunidade proporcionando-lhes novas experiências e uma consistente ocupação dos tempos livres, a ARAL está a efetuar uma Campanha de Recolha de Leite e Cereais.

O pequeno almoço é uma refeição fundamental e nos nossos campos de férias ganha ainda maior importância pois queremos participantes bem dispostos e cheios de energia para enfrentar as atividades de cada dia. Ao contribuir para esta causa está a ajudar a que estas crianças/jovens tenham dias ainda melhores e mais equilibrados.

Não temos preferência por marcas, basta que sejam pacotes de 1litro de leite meio gordo e cereais de mel ou chocolate, ambos com prazo de validade que chegue a 13 de Agosto.

Ajude-nos nesta causa e lembre-se tudo o que damos ao mundo retorna e ressoa!

Campanha recolha Pacotes de Leite

 

Associações lançam Plataforma em defesa da EB2+3 Alto do Lumiar

A criação da Plataforma é uma iniciativa conjunta da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas do Alto do Lumiar e Associação de Residentes do Alto do Lumiar

Plataforma pela Escola 2+3 do Alto do Lumiar

Exma Senhora Presidente da Assembleia da República

Exmo Senhor Ministro da Educação e Ciência.

Nos últimos tempos, a deterioração progressiva do parque escolar da Escola 2+3 do Alto do Lumiar tem criado muita apreensão em toda a comunidade (pais, crianças, professores, funcionários, moradores e instituições locais), dado que as condições de funcionamento das aulas não garantem a segurança mínima exigida num estabelecimento de ensino. As crianças, aproximadamente 553 alunos que frequentam a  ESCOLA 2+3 do ALTO DO LUMIAR, enfrentam todos os dias situações que, além de perigosas, não dignificam a comunidade nem a sociedade em geral. De destacar:

  1. Janelas partidas e telhados danificados, chovendo dentro das salas de aula;
  2. Pavimento degradado com tacos de madeira soltos;
  3. Quadros de “ardósia” encostados à parede por falta de parafusos, constituindo um perigo para os estudantes;
  4. Sistema eléctrico inteiramente degradado (fios descarnados, candeeiros suspensos por fios, infiltrações no sistema), representando um elevado perigo para as crianças e jovens que frequentam a Escola;

Salienta-se ainda a inexistência de um espaço fechado para a prática desportiva (ginásio ou pavilhão) o que obriga os alunos a frequentarem aulas em recinto escolar descoberto, quaisquer que sejam as condições meteorológicas (salienta-se, mesmo em condições meteorológicas adversas). Também a impossibilidade de abertura da Unidade de Multideficiência (sala UAM) de 2ºCiclo obriga a que os alunos portadores de deficiência tenham de deslocar-se para a na EB1/JI Padre José Manuel Rocha e Melo (ex.EB1 nº34), em função das condições de acessibilidade.

Ainda que pareça dispensável, por tudo o que já ficou exposto, trazer à colação a influência negativa da deterioração das estruturas físicas na efectiva realização de novas dinâmicas de ensinar e aprender, ela é uma triste realidade, cuja reversão da situação não pode permanecer apenas um objectivo desejável. Assim, exorta-se V. Exas que sejam agentes activos desta mudança.

Importa ainda destacar que a ESCOLA 2+3 do ALTO DO LUMIAR não dispõe de qualquer tipo de auditório, e que a sua construção da Escola serviria não só a comunidade educativa como seria de grande mais-valia para toda a população da Freguesia. A inexistência de um auditório contraria a lógica de acção da Escola contemporânea, que se quer mais aberta à comunidade e ao desenvolvimento de novas valências internas.

Tudo isto consubstancia um cenário de grande preocupação, que nega às crianças e jovens as condições de aprendizagem e formação a que têm direito numa sociedade democrática e que lhes devem ser garantidas pela escola pública, nos termos da Constituição da República.

Tendo em consideração a existência de 350 milhões de euros para reequipamento escolar, à reabilitação e requalificação de cerca de 130 escolas, vimos por este meio exortar V. Exas para a necessidade que a ESCOLA 2+3 do ALTO DO LUMIAR, seja objecto de uma intervenção, com a maior urgência, a fim de que os alunos e restantes intervenientes tenham condições para aprenderem, ensinarem e prestarem os serviços necessários, segundo a função de cada um

Concurso de Talentos na Escola 2+3 Alto do Lumiar

Realizou-se hoje o Concurso de Talentos da Escola 2+3 do Alto do Lumiar, uma iniciativa diferente que deu oportunidade aos alunos de se reunirem em grupos ou sozinhos e mostrarem as suas competências artísticas.

O Júri contou com a presença de convidados com experiência nas áreas da música e dança, nomeadamente o Fausto e o E-Boy (bailarinos) e o Pedro (baixista do AGIR) e ainda com o Agente Jesus da Escola Segura e a Prof. Maria Caldeira em representação do Agrupamento

A ARAL esteve mais uma vez presente no evento e ajudou à organização e logística, é sempre um prazer assistir a estes eventos e assitir a jovens tão talentosos que mostram o seu ritmo a cada segundo em que estão no palco.

Esta foi uma iniciativa muito importante para os alunos, sendo a forma perfeita de terminar mais um ano letivo. Ganhar ou perder foi irrelevante, o importante foi cada um mostrar à comunidade escolar o seu talento.

DSC_0399 DSC_0401 DSC_0404 DSC_0416 DSC_0425 DSC_0427 DSC_0442 DSC_0464 DSC_0470

Urban Market Alta de Lisboa: Assim foi na Quinta das Conchas

Realizou-se no passado sábado, dia 25 de Outubro, o primeiro Urban Market Alta de Lisboa itinerante, na Quinta das Conchas.

Com o maravilhoso dia de sol que se fez sentir a Quinta das Conchas estava repleta de visitantes e a sua grande maioria, com um ar de surpresa e contentamento, aproveitou para visitar o nosso mercado.

Com um aspeto bastante informal se distribuíram as diversas bancas, podendo os visitantes encontrar desde compotas e bolachinhas artesanais a roupa e brinquedos em segunda mão e muitas peças de artesanato e decoração. Também o Refood do Lumiar esteve representado na tentativa de angariar novos voluntários para ajudar ao cumprimento da sua missão, e assim o conseguiu!

DSC_0208

DSC_0198

DSC_0159

DSC_0166

DSC_0178

DSC_0138

No mês de Novembro prometemos voltar à Quinta das Conchas, já no dia 8, e dia 22 estaremos no Parque Oeste. Teremos ainda uma edição especial de Halloween no dia 1 de Novembro no Mercado do Lumiar!

Programa de Férias na Alta de Lisboa

verao2013-01

Já só faltam duas semanas para terminarem as aulas para os alunos do 1º ciclo e depois de um ano repleto de aprendizagens é uma pena estagnar… por esta razão  desenvolvemos programas de férias a partir de dia 17 de Julho com atividades atrativas que estimulam o desenvolvimento de competências nas crianças.

Ficar em casa o dia todo em frente da televisão ou a jogar videojogos é, certamente, aliciante para as crianças, mas pais conscientes sabem que de nenhuma forma este tipo de atividades realizadas de forma continuada contribuem para um crescimento equilibrado. Fazer novos amigos, ter novas experiências, participar em atividades de grupo, explorar uma nova zona… estas sim são atividades que possibilitam crianças crescerem em harmonia e adaptadas ao quotidiano!

O programa de férias da Alta de Lisboa oferece tudo isto e muito mais… informe-se e perceberá a excelente oferta que temos para os seus filhos a preços também adaptados à crise em que vivemos!

 

Rugby Alta de Lisboa: O rescaldo deste fim-de-semana

No passado sábado, dia 2 de Fevereiro, as nossas equipas de Sub-8 e Sub-10, acompanhados de dois jogadores da equipa de Sub-12, deslocaram-se ao Estádio Universitário, para aí realizarem mais um convívio de apoio à nossa seleção nacional de rugby.
Aos nossos bravos atletas mais novos coube (Sub-8) a tarefa de defenderem as nossas cores em 4 jogos, e aos Sub-10 em três. Já os atletas de escalão Sub-12 jogaram inseridos na equipa da ADS (Samoquense), mostrando a nessa mesma equipa toda a sua qualidade.
Após o torneio, tiveram ainda a oportunidade de assistir ao jogo de Portugal contra a Roménia, tendo no final do encontro a oportunidade de conviver com alguns jogadores da seleção nacional de rugby.

Por sua vez no domingo, dia 3 de Fevereiro, coube aos atletas mais velhos de Sub-14 participar no Torneio Regional de Sevens, realizado no Complexo Desportivo do Alto do Lumiar, com a participação de duas equipas do CDUL, do Portalegre, da Escolinha de Rugby da Galiza e da Escolinha de Rugby de S. João da Talha.
Esta foi mais uma oportunidade de mostrarem a sua grande evolução na modalidade, o seu espirito de sacrifício e de luta, bem como toda a garra nos momentos mais adversos.
Um bem haja a todos eles e que continuem a evoluir e a divertirem-se a jogar rugby!

 

792147_10151409539337313_722002770_o

Na Alta de Lisboa

 

812783_10151409468297313_453792827_o

No Estádio Nacional

Veja mais fotografias em http://www.facebook.com/Alta.Rugby

Foi assim o IV Encontro de Associações de Base Local da Alta de Lisboa

Realizou-se no último sábado, dia 5 de Maio,  o IV Encontro de Associações de Base Local da Alta de Lisboa, com o sub-tema Respostas Solidárias para a Crise, evento realizado na Escola Pintor Almada Negreiros.

A manhã foi bastante produtiva, tendo, à medida que iam chegando, os convidados a oportunidade ver informação sobre o trabalho realizado por algumas das associações da Alta de Lisboa, através de folhetos informativos, fotografias e outros.

Após a sessão de boas-vindas, cerca das 10h00, foi altura de os convidados se distribuírem por quatro grupos de trabalho: 1) Associativismo e a relação com a empregabilidade jovem, 2) Idosos, uma mais valia para as associações e vice-versa, 3) Crise como factor de oportunidades para as associações e 4) Associações como rede de proximidade e entreajuda. Aqui houve a oportunidade de serem discutidos os temas em questão, através da experiência dos presentes.

Já no final da manhã, e antes do plenário sobre as conclusões chegadas em cada um dos grupos de trabalho, decorreu a intervenção da Sra. Vereadora Helena Roseta a qual nos presenteou com as suas palavras encorajadoras e amistosas.

Seguiu-se a última intervenção da manhã, desta vez  efetuada pela Professora Isabel Vieira (Universidade Católica Portuguesa) que resumiu o trabalho de todos grupos, numa intervenção muito clara e inspiradora.

Depois do almoço, decorreu o Encerramento & Assembleia Geral da “Plataforma de Fortalecimento da Sociedade Civil”, para discussão dos estatutos e eleição da comissão instaladora.

Foi um dia muito bem passado e bastante produtivo,agradecemos a todos os que estiveram presentes a sua disponibilidade.

 

Stand da ARAL

 

Inscrição nos grupos de trabalho

 

Sessão de Boas-vindas

 

A Comissão Organizadora do Encontro (AVAal, Tunelense, K’Cidade, APEAL e ARAL)

 

As oradoras Prof.Isabel Vieira e Sra.Vereadora Helena Roseta

 

Os participantes dos grupos de trabalho e plenário

 

Assembleia Geral da “Plataforma de Fortalecimento da Sociedade Civil”

 

Discussão dos estatutos da “Plataforma de Fortalecimento da Sociedade Civil”

BIS: Banco Informativo de Serviços

O Banco Informativo de Serviços possui uma base de prestadores de serviços qualificados e disponíveis para o ajudar caso necessite de algum serviço. Temos por exemplo, canalizadores, estucadores, pintores, electricistas, costureiras, empregadas domésticas, entre muitos outros. Ligue para o 960 154 631 e descubra como o podemos ajudar.

BIS: continuamos activos no verão

Este verão não tem quem cuide dos seus filhos? Precisa de alguém para limpezas? A ARAL tem uma base de dados com os mais diversos tipo de serviços. Basta contactar-nos para o numero 96 015 4631 e nós damos-lhe um leque de prestadores de serviços.

Bairro de Letras: novo ponto de bookcrossing

O Projecto Bairro de Letras criou um novo ponto de bookcrossing: agora no Condomínio de São Bartolomeu  junto ao Parque Oeste. Por lá pode encontrar alguns livros registados no site oficial do bookcrossing (www.bookcrossing.com). A Casa Quieta de Rodrigo Guedes de Carvalho, O Doutro Jivago de Boris Pasternak ou A Costa dos Murmúrios de Lídia Jorge são alguns livros que pode encontrar no condomínio disponíveis para “viajar”.

Se quiser ficar a conhecer melhor o conceito de bookcrossing vá até a www.bookcrossing.com

 

Escolinha de Rugby da (m)Alta inicia treinos dia 7 de Outubro

A Escolinha de Rugby da (m)Alta vai começar os treinos já esta semana, o primeiro treino é já na Quinta-feira, dia 7 de Outubro! Todos os interessados a integrar esta Escolinha terão previamente de se inscrever nas suas escolas, junto dos treinadores ou no K’Cidade!

Os treinos decorrem todas as terças e quintas-feiras das 15H00 às 17H00 no0 Complexo Desportivo do Alto do Lumiar, para os alunos que frequentam as AEC das Escolas Básicas N.º 91 e 34, uma vez que a modalidade se insere na oferta desportiva das AEC, os inscritos deslocar-se-ão da escola para o Complexo na companhia dos treinadores, os restantes deverão ir ter directamente ao local do treino.

Nã0 percam esta oportunidade, é uma modalidade bastante diferente e divertida… para atletas corajosos e com sentido de equipa!

Para mais informações podem contactar Bárbara Oliveira (969496349) ou Afonso Nogueira (916293727).

Saudações ovais…

Orçamento Participativo CML – Vote nos Projectos para a Alta de Lisboa

O Orçamento Participativo (OP) é uma das formas de participação dos cidadãos na gestão da Câmara Municipal de Lisboa, no qual os cidadãos apresentaram propostas concretas até ao dia 30 de Junho de 2010 num valor máximo de 1 milhão de euros. Após análise dos Serviços, para confirmação da elegibilidade das propostas apresentadas e sua adaptação a projecto, haverá uma fase para votação nos projectos que decorrerá de 1 a 31 de Outubro de 2010.

Quem pode participar?
O Orçamento Participativo de Lisboa destina-se apenas aos cidadãos com idade a partir de 18 anos, que se relacionem com o Município de Lisboa, sejam residentes, estudantes ou trabalhadores e também representantes do movimento associativo, do mundo empresarial e das restantes organizações da sociedade civil.

Como se realiza a votação?
A votação nos projectos será feita exclusivamente através da Internet de 1 a 31 de Outubro 2010, através do site: http://www.cm-lisboa.pt/op/?idc=18&idi=39

 

Projectos Alta de Lisboa

1.Construção de uma infra-estrutura desportiva na freguesia do Lumiar (traseiras da J. F. do Lumiar)

Prazo de execução – 10 meses

Local – traseiras da J. F. do Lumiar por baixo do Eixo N/S.

Custo – 350.000 €

2.Criação dum Campo de Rugby Municipal na cidade de Lisboa

Prazo de execução-18 meses

Local-Alto do Lumiar – Parque Urbano Sul

custo-900.000,00 €

3.Policiamento Comunitário “Alta de Lisboa Mais Seguro”

Prazo de execução – 24 meses

Local – Alta de Lisboa

Custo – 246.022 €

4.Qualificação dos espaços Exteriores da Igreja da Charneca.

Prazo de execução – 18 meses

Local – Largo dos Defensores da Republica

Custo-250.000 €

 

5.Ligação Pedonal e Ciclável entre o Parque Oeste e a Estação de Metro da Ameixoeira

Prazo de execução: 18 meses

Local: Ameixoeira

Custo: 1.000.000 €

6.Colocação de bancos com encosto no Parque Oeste

Prazo de execução: 6 meses

Custo: 20.000 €

Manuel Salgado responde às perguntas

Chegou-nos por email a resposta às perguntas enviadas pela ARAL, AVAAL, Centro Social da Musgueira e Viver Lisboa à CML no passado dia 22 de Março.

Os quatro signatários, juntamente com outras associações e colectividades que entretanto se queiram juntar, irão reunir em breve para debater o ponto de situação da Alta de Lisboa. Continuamos a achar que o horizonte não é animador, mas pode ser que seja apenas uma idiossincrasia nossa, que seja tudo uma questão de prisma. Ver tanta gente adormecida e inerte, conformada com o estado das coisas, é um sinal de alerta para nós. É bem possível que tudo esteja afinal sobre rodas e sejamos nós a acordar diariamente com os pés de fora dos lençóis.

Por agora, o vosso input, caríssimos e mui estimados leitores, é fundamental para todos nós. Queiram comentar e dar as vossas opiniões.

From: “gab.manuel.salgado@cm-lisboa.pt” <gab.manuel.salgado@cm-lisboa.pt>
Date: 4 de Maio de 2010 10:50:10 WEST
To: “viveraltadelisboa@gmail.com” <viveraltadelisboa@gmail.com>
Cc: “ana.coelho@cm-lisboa.pt” <ana.coelho@cm-lisboa.pt>, “jorge.catarino@cm-lisboa.pt” <jorge.catarino@cm-lisboa.pt>
Subject: ENT/3969/PR/10 -Resposta aos e-mails dos subscritores: Associação Residentes do Alto do Lumiar; Associação para a Valorização Ambiental da alta de Lisboa; Centro Social da Musgueira; Viver na Alta de Lisboa

Exmos. Senhores,
Associação Residentes do Alto do Lumiar
Associação para a Valorização Ambiental da alta de Lisboa
Centro Social da Musgueira
Viver na Alta de Lisboa

Procedemos à leitura atenta do V. Email, tal como fazemos com todas as questões que nos colocam.

Contrariamente ao que se pode pensar, pelo menos por quem lê o V. e-mail, a Câmara Municipal de Lisboa está empenhada em dotar esta área da cidade das melhores condições de vida, realizando o Plano de Urbanização do Alto do Lumiar (PUAL), atentas as condições financeiras da CML e tendo sempre em vista o interesse público, quer na repartição dos seus meios pela gestão da cidade, quer pela sua boa aplicação.

Antes de se passar aos comentários e respostas às diferentes questões convém lembrar que o projecto do Alto do Lumiar não começou em 2007 nem se prometeu a sua conclusão em 2009.

Em 2007 avaliou-se o estado de execução do Plano, analisaram-se os compromissos existentes e estabeleceram-se prioridades.

Da avaliação efectuada verificou-se que nos últimos anos as prioridades estabelecidas levaram à criação de um território desagregado, sem continuidade e com graves problemas de identificação.

Dos compromissos existentes detectámos a falta de estratégia nas malhas a desenvolver e na implementação de vias sem que estivessem acauteladas as devidas aquisições das propriedades.

As prioridades que se estabeleceram foram no sentido de se desbloquearem os problemas mais imediatos e com implicações legais complexas, estabelecer o acerto de contas entre a CML e a SGAL (que não era feito desde 2004), definir as fases de intervenção no terreno, dando alguma coerência à implementação do Plano.

Neste contexto convém então prestar os seguintes esclarecimentos às questões colocadas:

1. A revisão do PUAL foi decidida em 2008, os termos em que deverá ser feita foram publicados em DR de 16/03/09, e foi suscitada, quer pelas diferentes e recentes aprovações que ocorreram (desde 2002 a 2007), quer pela legalização destas aprovações, quer pelas alterações que pretendemos introduzir no Plano, adaptando-o às novas necessidades da população, por forma a melhorarmos a sua qualidade de vida.

2. A renegociação do contrato com a SGAL vai trazer óbvias implicações na implementação do PUAL, quer por via da sua alteração, quer por via da necessidade de actualizar os termos de um contrato que tem cerca de 30 anos.

3. A execução da Av. Santos e Castro, prevista ser a última a ser executada (por se tratar de uma via periférica), foi uma das prioridades do executivo da CML nos mandatos entre 2002 e 2007.
Para este efeito tratou-se de lançar uma empreitada em que:
a) se aumentou o cariz de via rápida (passou de 2 + 2 faixas para 3 + 3 faixas),
b) se aumentou o preço global (por via do aumento de faixas),
c) não se acautelou a aquisição dos terrenos necessários (originando a paragem da obra em 2 troços, a execução de obras ilegais no município de Loures – sobre terrenos particulares e já em tribunal) e
d) não se estudaram devidamente as ligações à rede viária envolvente.
Já falta pouco para concluir a obra, mas ainda não estão reunidas as condições para a reiniciar porque a desocupação do terreno onde se irá implantar um dos pilares do troço de viaduto, se localiza no Concelho de Loures.
Já se fez, em 2009, um acordo com a Câmara Municipal de Loures para resolver as questões com as parcelas naquele município.
Já se resolveu o troço junto do nó 2 com a aquisição do armazém existente.
Já se elaborou e transmitiu à SGAL o desenho de solução viária provisória da ligação da Avenida à 2ª Circular.
Nos troços já executados da Avenida Santos e Castro, houve ocupação de algumas parcelas de terreno sem se ter procedido à sua aquisição e sem autorização dos seus proprietários.

4. Quanto à Porta Sul: o projecto de 2006 foi abandonado e o lançamento da obra foi anulado em 2007. E bem, pois não só se iria pagar cerca de 12.000.000 € por uma rotunda, como a própria solução não respondia ao que se pretende, nomeadamente quanto à sua ligação ao Campo Grande e ao financiamento para a sua execução.
Efectivamente foi perdido muito tempo, inutilmente, e lançado um concurso de empreitada que, para além de não ter sido público como a lei obriga, ainda poderia custar bastante mais que o previsto.
Neste momento está a ser desenvolvida uma nova solução, que não retoma ou recupera quaisquer soluções anteriores e que prevê a sua execução por fases.

5. Quando ao Eixo Central as questões são mais ou menos as mesmas da Av. Santos e Castro: começou-se sem estarem acauteladas todas as aquisições de terrenos. O projecto foi entretanto aprovado e as obras encontram-se em execução.

6. O desenvolvimento do projecto do Centro de Mercadorias sempre esteve comprometido pela inexistência de recursos financeiros para a aquisição de terrenos privados que constituem uma percentagem bastante elevada da área do Centro e seus acessos.

7. Relativamente ao Centro Social da Musgueira, houve que relocalizar o mesmo, pois o projecto existente de 2004 ficava “entalado” na Rua Queiroz Pereira e nem os moradores nem a CML pretendiam esta solução.
Encontrou-se outro local, efectuou-se novo projecto (discutido com todos os intervenientes envolvidos) e deu-se indicação, em Dezembro de 2009, para se iniciarem os trabalhos de construção. Por razões internas à SGAL a obra ainda não se iniciou.

8. Com a nova localização do quartel dos Bombeiros, face á necessidade de ampliação da escola, está a ser revisto o projecto.

9. O projecto do Centro Cultural está a ser reformulado devido aos elevados custos estimados para a sua construção. A localização de um equipamento continua previsto nos estudos da malha 18 em elaboração pelo Arq. Siza Vieira.

10. O projecto de Complexo Desportivo encontra-se em fase de execução por parte do Departamento de Desporto.

11. O Centro de Saúde no Montinho de S. Gonçalo tem o projecto de Arquitectura a ser elaborado, tendo sido objecto de aprovação a cedência do terreno, em 2009, pela CML à ARSLVT. Aguarda-se o início da obra por parte da ARSLVT.

12. No que respeita às questões de mobilidade é do conhecimento geral que a implementação da rede de metropolitano não é da competência da CML e está em estudo a instalação de uma rede de eléctricos. Ambas as situações estão previstas nos planos mas a sua implementação cabe a outras entidades. Quanto à ciclovia, existe já um traçado geral para o Alto do Lumiar, que está em apreciação pelos diferentes serviços envolvidos.

13. Relativamente à atribuição do nome de Aristides de Sousa Mendes ao Eixo Central recorda-se que, em Março passado, foi já respondido que em Lisboa não pode haver duplicação de nomes em arruamentos pois existe já uma via com este topónimo.

14. Quanto ao Parque Oeste, começado em 2004, a questão não é saber porque existe um atraso de oito meses. A questão é saber porque se demorou seis anos a executá-lo.
Finalmente concluiu-se esta terceira fase. A restante fase (parque hortícola) já teve o meu parecer favorável e encontra-se no Pelouro dos Espaços Verdes para se estudar a sua implementação.

15. Já foram aprovados loteamentos que prevêem escritórios no Alto do Lumiar. Aguarda-se a sua concretização pela SGAL.

16. O estado em que se encontra a intervenção na Malha 14 (Empreendimento LX condomínio) é o resultado de autorizações consideradas nulas, obras iniciadas sem licença e embargos obrigatórios. Estes procedimentos deram origem em 2008 à elaboração de um Plano de Pormenor que enquadrasse esta situação. O Plano já foi aprovado e já se encontra em vigor. A CML já autorizou o recomeço de alguns trabalhos.

Com os melhores cumprimentos,
O Vice-Presidente
Arq. Manuel Salgado

Câmara Municipal de Lisboa
Gabinete Vice-Presidente, Arqtº Manuel Salgado
Campo Grande nº 25 – 2ºE    1749-099 Lisboa
Telf (351) 21 798 88 50 / 21 798 91 47
Fax (351) 21 817 12 37
gab.manuel.salgado@cm-lisboa.pt