A propósito do Passeio de Bicicleta…

No ano passado, e após quase vinte anos sem andar de bicicleta, tomei a decisão de comprar uma e voltar a dar uns passeios. Após tanto tempo, foi com grande satisfação que percebi que nunca desaprendemos a andar de bicicleta e de repente senti-me de volta à adolescência. Dei uma ou duas pequenas quedas (sobretudo por falta de cuidado) e voltei a desenrascar-me com mudanças, subidas e trilhos de areia.

No entanto, nunca consegui olhar para ela como um verdadeiro meio de transporte, mas apenas como uma forma de diversão em pequenos passeios de fim-de-semana. E é aqui que a mentalidade de um povo se faz sentir. Há uns anos durante umas férias na Holanda, percebi que a bicicleta podia ser uma alternativa viável aos carros. No entanto, nós enquanto povo não temos a cultura da bicicleta. Nunca há ciclovias suficientes, ou está demasiado frio ou demasiado calor, Lisboa é uma cidade de colinas.

No início do mês a ARAL decidiu fazer um passeio de bicicleta para celebrar a Semana Europeia da Mobilidade, e eu fiquei entusiasmada com a ideia. Passei a semana a dizer em casa que no próximo sábado de manhã iríamos andar de bicicleta, pela Alta de Lisboa. E o homem lá de casa aderiu bastante à ideia.

No entanto, naquele sábado de manhã, acordei com aquele comodismo que é habitual a nós portugueses. A vontade de passar a manhã de pijama, a preguiçar em frente da televisão já se sobrepunha à ideia do Passeio de Bicicleta. Felizmente, o homem lá de casa, fez-me levantar, sair de casa, e lá fomos até ao Parque Oeste para um passeio. E ainda bem!

Foi uma manhã solarenga, em que deu para andar bastante de bicicleta, conhecer a famosa avenida sem princípio nem fim (aka, Avenida Santos e Castro), e sentir aquela brisa fresca no rosto.

No entanto, não houve muitas pessoas a aderir ao Passeio. Acredito, que tenha havido bastantes mais a pensar em ir, mas depois, por preguiça, comodismo, ou pelas tradicionais desculpas de frio ou calor, acabam por perder uma manhã bem passada em que temos oportunidade de conviver e conhecer a vizinhança.

Passeio de Bicicleta - Av. Santos e Castro

Na segunda-feira seguinte, peguei no carro de manhã, para ir trabalhar. Para variar, a rua por trás do aeroporto estava toda engarrafada. E de repente, vejo pela berma um rapaz a ir de bicicleta para o emprego. Mesmo sem um motor, o rapaz ultrapassou toda a fila e rapidamente o deixei de ver. E dei comigo a pensar na inteligência das nossas decisões. Ali estava eu (e outras centenas de pessoas), parada no transito, a gastar tempo e combustível. E ali estava também uma outra pessoa, que não se acomodou ao carro, e optou por uma solução, mais rápida, mais económica e mais saudável. No fundo, dei comigo a pensar que a primeira coisa a alterar é a nossa mentalidade, o nosso comodismo, para podermos ter uma vida mais saudável e apreciar a nossa cidade.

Conversas do Bairro

A ARAL deseja que as “Conversas do Bairro” sejam um fórum onde os residentes e actores do Alto do Lumiar, possam entre si de uma forma positiva, trocar ideias e opiniões podendo ser um espaço onde inclusivamente se possam alavancar iniciativas e acções que visem a melhoria de diversos aspectos do nosso bairro.

É com enorme satisfação que a ARAL pode afirmar que as primeiras “Conversas do Bairro” atingiram os objectivos propostos e agradecemos em especial ao nosso orador convidado, Dr. Carlos Moura-Carvalho (SGAL), por se ter juntado a nós no arranque de mais uma iniciativa da ARAL.

Não podiamos deixar de agradecer as presenças que tanto nos honraram, dos nossos sócios, dos nossos futuros sócios e residentes do Alto do Lumiar, da Presidente da Junta de Freguesia da Charneca, aos nossos colegas da Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha e aos representantes do Centro Social da Musgueira e do blog Viver na Alta de Lisboa.

Um forte agradecimento ao K’Cidade pela amabilidade que tiveram em nos facultar o espaço e pela sua comparência neste nosso evento.

Ouviu-se, discutiu-se, criticou-se e trocaram-se ideias e opiniões sobre o “Presente e o Futuro do Projecto Alta de Lisboa”!

Iremos tentar disponibilizar a curto prazo aqui no blog o vídeo das primeiras Conversas. do Bairro

Conversas do Bairro – “O Presente e Futuro do Projecto Alta de Lisboa”

Caros(as) vizinhos(as) do Alto do Lumiar,

A ARAL irá dar início a uma nova iniciativa ao qual deu o nome de “Conversas do Bairro” sendo o nosso desejo que tenha uma periodicidade mensal. O objectivo desta iniciativa é potenciarmos a existência de um fórum informal onde os(as) residentes do Alto do Lumiar possam discutir e reflectir de uma forma positiva e construtiva sobre diversos assuntos que tenham directa ou indirectamente a ver com o nosso bairro.

Contamos efectuar a primeira sessão do “Conversas do Bairro” já no próximo dia 25/01/2008 às 20:30, utilizando para o efeito umas instalações temporárias que foram gentilmente cedidadas pelo K’Cidade à ARAL e estimamos que a mesma tenha uma duração máxima de 3 horas. O tema que escolhemos para iniciar esta iniciativa é “O presente e o futuro do projecto Alta de Lisboa”, à qual desde já temos o prazer anunciar que o nosso orador convidado é o Drº Carlos Moura-Carvalho na qualidade de representante da SGAL (Promotora do Projecto Alta de Lisboa).

aral-conversas-do-bairro.jpg

Contamos com a sua presença!