Estacionamento de bicicletas

No âmbito do seu projecto Bike Sharing, A ARAL pediu a instalação de um estacionamento de bicicletas, junto à sua sede e propôs ainda uma série de locais onde faria sentido a instalação destes equipamentos. Aqui fica o pedido:

Exmo. Senhor Vereador José Sá Fernandes,
 
A ARAL – Associação de Residentes do Alto do Lumiar está a desenvolver um projecto de Bike Sharing, disponibilizando bicicletas para uso partilhado de sócios e moradores, o que permitirá facilitar deslocações entre os vários bairros que a Alta de Lisboa abrange e para outras zonas da cidade de Lisboa.
 
Neste sentido, e tendo conhecimento de que a CML pretende apostar nesta forma de mobilidade, gostaríamos de solicitar a V. Exa. apoio para a instalação de um posto de estacionamento de bicicletas junto à nossa sede na Rua Luís Piçarra, que nos facilitaria o funcionamento do projecto de Bike Sharing em segurança e permitiria incentivar os moradores à utilização da bicicleta para as suas deslocações, transmitindo assim a estes a mensagem de que a utilização deste meio é bem vinda e desejável.
 
Caso a nossa proposta seja aceite deixamos um anexo com imagem e características do tipo de suporte considerado mais adequado, pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta, e uma foto do local onde desejávamos que fosse instalado.
 
Sugerimos ainda a instalação, nesta fase, de postos de estacionamento junto das seguintes instituições ou nos seguintes locais: Escola Pintor Almada Negreiros, Escola D. José 1, Escola 34, Escola 91 e Complexos Desportivo do Alto do Lumiar, Pista Atletismo Prof. Moniz Pereira, saídas das estações de metro da Ameixoeira, Quinta das Conchas e Lumiar.
 
Estamos disponíveis para qualquer esclarecimento adicional e agradecemos desde já a atenção disponibilizada.
 
 
Com os melhores cumprimentos,
José Almeida

 

A propósito do Passeio de Bicicleta…

No ano passado, e após quase vinte anos sem andar de bicicleta, tomei a decisão de comprar uma e voltar a dar uns passeios. Após tanto tempo, foi com grande satisfação que percebi que nunca desaprendemos a andar de bicicleta e de repente senti-me de volta à adolescência. Dei uma ou duas pequenas quedas (sobretudo por falta de cuidado) e voltei a desenrascar-me com mudanças, subidas e trilhos de areia.

No entanto, nunca consegui olhar para ela como um verdadeiro meio de transporte, mas apenas como uma forma de diversão em pequenos passeios de fim-de-semana. E é aqui que a mentalidade de um povo se faz sentir. Há uns anos durante umas férias na Holanda, percebi que a bicicleta podia ser uma alternativa viável aos carros. No entanto, nós enquanto povo não temos a cultura da bicicleta. Nunca há ciclovias suficientes, ou está demasiado frio ou demasiado calor, Lisboa é uma cidade de colinas.

No início do mês a ARAL decidiu fazer um passeio de bicicleta para celebrar a Semana Europeia da Mobilidade, e eu fiquei entusiasmada com a ideia. Passei a semana a dizer em casa que no próximo sábado de manhã iríamos andar de bicicleta, pela Alta de Lisboa. E o homem lá de casa aderiu bastante à ideia.

No entanto, naquele sábado de manhã, acordei com aquele comodismo que é habitual a nós portugueses. A vontade de passar a manhã de pijama, a preguiçar em frente da televisão já se sobrepunha à ideia do Passeio de Bicicleta. Felizmente, o homem lá de casa, fez-me levantar, sair de casa, e lá fomos até ao Parque Oeste para um passeio. E ainda bem!

Foi uma manhã solarenga, em que deu para andar bastante de bicicleta, conhecer a famosa avenida sem princípio nem fim (aka, Avenida Santos e Castro), e sentir aquela brisa fresca no rosto.

No entanto, não houve muitas pessoas a aderir ao Passeio. Acredito, que tenha havido bastantes mais a pensar em ir, mas depois, por preguiça, comodismo, ou pelas tradicionais desculpas de frio ou calor, acabam por perder uma manhã bem passada em que temos oportunidade de conviver e conhecer a vizinhança.

Passeio de Bicicleta - Av. Santos e Castro

Na segunda-feira seguinte, peguei no carro de manhã, para ir trabalhar. Para variar, a rua por trás do aeroporto estava toda engarrafada. E de repente, vejo pela berma um rapaz a ir de bicicleta para o emprego. Mesmo sem um motor, o rapaz ultrapassou toda a fila e rapidamente o deixei de ver. E dei comigo a pensar na inteligência das nossas decisões. Ali estava eu (e outras centenas de pessoas), parada no transito, a gastar tempo e combustível. E ali estava também uma outra pessoa, que não se acomodou ao carro, e optou por uma solução, mais rápida, mais económica e mais saudável. No fundo, dei comigo a pensar que a primeira coisa a alterar é a nossa mentalidade, o nosso comodismo, para podermos ter uma vida mais saudável e apreciar a nossa cidade.

Boa Iniciativa: CM Aveiro incentiva uso de bicicleta

Que tal a Câmara de Lisboa organizar um projecto semelhante ao organizado pela Câmara de Aveiro?

 

No âmbito do projecto “Lifecycle” vai decorrer, de 17 de Março a 19 de Junho, em Aveiro a campanha “de Selim para o trabalho”. Promovida pela Câmara Municipal de Aveiro e destinada aos adultos do concelho a campanha procura persuadir os próprios funcionários municipais a deslocarem-se de bicicleta ou num sistema de “Park & Bike” ou “Bus & Bike”, deixando o automóvel em parques à entrada da cidade, para completarem o percurso até às instalações municipais de bicicleta.

Além desta campanha destinada a adultos, há ainda uma vertente dirigida à população escolar e em que participam as escolas secundárias Jaime Magalhães Lima e Mário Sacramento e a Escola Básica Integrada de Eixo é a campanha “Para a Escola com Pedalada”, em que aos estudantes é lançado o desafio de fazerem, pelo menos duas vezes por semana, a deslocação entre a casa e a escola de bicicleta.

Os alunos aderentes serão abrangidos por um seguro individual e serão distribuídas bicicletas como prémio, entre os participantes.

Em relação à população sénior vão ser feitas campanhas de sensibilização na área da saúde, em parceria com as Juntas de Freguesia de Santa Joana e Eixo, que vão incluir rastreios médicos e procurar estimular o uso da bicicleta como promoção da actividade física.

A autarquia vai ter três técnicos afectos ao projecto em tempo parcial e ainda realizar pequenas intervenções de prevenção rodoviária nas vias municipais.

O projecto “Lifecycle”, da Câmara de Aveiro, procura sensibilizar a população para o uso da bicicleta no dia-a-dia, no âmbito do Programa Europeu da Saúde (PHEA). Este projecto é financiado integralmente pela União Europeia, o custo do projecto no que diz respeito a Aveiro ascende a cerca de 50 mil euros, em campanhas direccionadas às famílias, à população sénior e adulta, estudantes universitários e crianças em idade escolar.

in Fórum do Urbanismo

“Cycling Friendly”

Via: http://bicicletaportugal.blogspot.com/

O Alto do Lumiar reune condições para se avançar com a implementação de ciclovias. Há que juntar esforços e vontade política nesse sentido.

Paralelamente à questão das ciclovias, é importante não esquecer os peões, pois sem eles a nossa zona perderá vida e dará lugar a mais um dormitório na cidade de Lisboa.

O Alto do Lumiar devido às suas caracteristicas próprias, pode-se tornar numa zona de referência para a Lisboa Verde e Amiga dos Peões que tanto se têm falado na presente campanha eleitoral para a Câmara Municipal de Lisboa.

Há que trabalhar (também) neste sentido…