Luz ao fundo do Túnel…

Tenho andado por foras destas lides associativas. Como espectador, tenho observado o que se vai fazendo no Alto do Lumiar e acima de tudo assisto orgulhoso ao sentimento de união associativista que sinto ser cada vez mais forte aqui no nosso bairro.

Dá prazer, muito prazer…ver e sentir que se está a criar uma verdadeira comunidade independentemente das características sócio-culturais de cada um. Os meus sinceros parabéns a todos os que estão a dar o seu “corpo e suor”  no lançamento e dinamização de todos estas inicictivas e desafios, pois são “vocês” que estão efectivamente a  patrocinar para a melhoria da qualidade de vida do nosso bairro.

Agora…

Quando vejo as diversas iniciativas e noticias que por aí andam sobre a Alto do Lumiar dou por mim a pensar: “Que mais é preciso fazer-se, mostrar-se e ser-se, para que a Câmara Municipal de Lisboa olhe de uma vez por todas de forma séria e objectiva para este projecto e para quem cá vive? “.

Por muito que tente ver o “copo meio cheio” e querer (que quero!) acreditar que algo se irá fazer para inverter a “marcha lenta” em que nos encontramos, acho que é tempo de se pensar em novas formas de nos fazermos notar, pois acho que só pelo “caminho da dor” é que eles irão olhar para nós com olhos de ver.

A total desresponsabilidade da classe política e o constante escudar da sua argumentação com base em desculpas assentes em questões colaterais, impedem esta parte da cidade de crescer. Esquecem-se  constantemente  dos compromissos que assumem, seja por causa de Amnésia ou de Alzheimer, o certo é que a nossa classe politica está muito, mas muito doente e assim não podemos mesmo continuar.

Há que acender definitivamente a luz ao fundo do túnel, pois ela está lá!

Disclaimer: Este é um artigo de opinião e como tal as linhas aqui debitadas são da exclusiva responsabilidade de quem as escreveu.

Policiamento

É leviano quando o policiamento e a segurança são armas de arremesso político.

Há anos que todos nós pedimos atenção sobre este tema aqui no Alto do Lumiar.

Há anos que se diz que é um dos pontos fulcrais para o sucesso deste projecto.

Há anos que nos prometeram uma super-esquadra.

Hoje temos uma divisão de trânsito o que será amanhã?

Pensemos positivo e que o policiamento de proximidade chegue de uma vez por toda ao nosso Alto do Lumiar pois até estamos em época de eleições.

É o bairro!

Resta-nos congratular a SGAL pela facto de ter percebido e acedido ao conceito de Bairro na “Alta de Lisboa”. Sempre foi a nossa opinião, que  esse seria um dos grandes vectores para consolidação e crescimento desta  antiga e nova zona da cidade de Lisboa.

Recupere-se e mantenham-se as boas tradições, mostre-se as mais valias deste bairro e passe-se das palavras aos actos.

Humanize-se, socialize-se, proteja-se e acima de tudo que haja tolerância entre todas as partes.

É o bairro!. O nosso bairro.

Divisão de Polícia

É muito importante sabermos qual será a resposta da CML face à sugestão efectuada pela Junta de Freguesia do Lumiar sobre a instalação da Divisão Policial no equipamento construido para o efeito na Av. Maria Helena Vieira da Silva.

A operacionalização desta divisão (e não esquadra) com efectivos policiais para o efeito e a respectiva implementação do programa de “Polícia de proximidade” em toda a sua área de actuação, é fulcral para a estabilização e boa vivência do nosso bairro, e como tal deverá ser algo em que todos deveremos ter muita atenção.

Perceber Lisboa

lisboa.jpg

 

Como poderá a CML revitalizar uma Baixa-Chiado e receber a transferência de uma zona ribeirinha, se mostra uma total incapacidade na gestão de projectos da envergadura de uma “Alta de Lisboa“?.

Como poderá uma câmara individada e burocratizada como a CML, fazer face a tantos projectos estruturantes ao mesmo tempo? Para quê dar mais responsabilidades a um orgão que não consegue por si só gerir os compromissos, as responsabilidades e os activos que têm?

São perguntas que me faço diáriamente e às quais ainda não consegui obter qualquer resposta. Alguém sabe?