Rugby – Apadrinhar uma criança

O Rugby na Alta de Lisboa é um projeto de cariz social que nasceu em 2009 na Alta de Lisboa (freguesias do Lumiar e Santa Clara) um território com cerca de 32.000 habitantes, muitos dos quais com origem no Plano Especial de Realojamento (PER) de antigos bairros de barracas como são exemplo a Musgueira ou a Quinta Grande.

O Rugby na Alta de Lisboa tem como objectivo inicial a ocupação dos tempos livres e integração social de crianças, através da prática de uma modalidade desportiva diferente, rica pelos valores pessoais e sociais que transmite.

O Rugby é uma modalidade de enorme carácter educativo, por transmitir valores que contribuem para um desenvolvimento pessoal estruturado, como são exemplos a cooperação, espírito de equipa, lealdade, disciplina, auto-estima, desportivismo, atitude e dedicação.

O Rugby na Alta de Lisboa proporciona duas vezes por semana treinos para crianças/jovens, dos 6 aos 14 anos, rapazes e raparigas, distribuídos de acordo com os escalões etários. Os treinos realizam-se no Complexo Desportivo do Alto do Lumiar.

Aos treinos desportivos está ainda associada uma componente pedagógica, colocada em prática numa sala de apoio ao estudo com o objectivo de auxiliar à melhoria do desempenho escolar e a contribuir para o desenvolvimento de competências pessoais e sociais dos atletas.

De modo a financiar este projecto a ARAL lança um Projecto de Apadrinhamento permitindo que qualquer pessoa ou organização possa contribuir.

O Apadrinhamento do Rugby consiste em proporcionar às crianças condições para participarem nesta modalidade e transmitir os valores inerentes à prática: solidariedade, espírito de equipa, respeito e união

As dificuldades com as quais as crianças se defrontam diariamente para poderem aceder a novas oportunidades e modalidades que lhes permita aspirar um desenvolvimento saudável equilibrado e seguro serão suprimidas através das diferentes valências proporcionadas pela contribuição monetária dos padrinhos.

Graças a essa contribuição, a ARAL poderá assegurar a cobertura dos gastos como as mensalidades, a formação, o equipamento (calçado, vestuário),  material escolar para a sala de estudo, o apoio extra-escolar, a promoção da formação humana, consultas médicas que assegurem o desenvolvimento destas crianças, deslocações a torneios, etc. Contribuindo assim para uma melhor integração social destas crianças e jovens no contexto escolar tornando possível um futuro mais risonho

Posso apadrinhar mais do que uma criança?

Sim, não há limites para o número de crianças apadrinhadas.

Para que serve o meu apadrinhamento?

O valor de apadrinhamento consiste no valor da mensalidade para participação nas nossas actividades. Nesse sentido, as mensalidades servem para suportar o funcionamento do projecto: formadores, treinadores, sala de apoio ao estudo, equipamentos, apoio psicológico, deslocações, etc

Com quanto é que o padrinho contribui?

Contribui com 20 euros mensais.

Existem várias formas de pagamento?

Sim, pode contribuir mensal, trimestral, semestral ou anualmente.

Não consigo sozinho/a suportar o apadrinhamento, o que posso fazer?

Pode apadrinhar uma criança com o valor que estiver ao seu alcance. Pode igualmente organizar um grupo (amigos, familiares, colegas, etc) e o contributo de todos resultar no apadrinhamento de uma criança

Quanto tempo dura o apadrinhamento?

Para que seja sustentável convidamos os padrinhos a um compromisso de 1 ano. No entanto pode contactar-nos para estudar outros períodos.

Quero ajudar mas não posso assumir um compromisso como este, existem alternativas?

Sim, pode fazer um donativo pontual sempre que quiser. Todos os contributos são bem-vindos!

Convidamos desde já a contribuir para que as crianças tenham esta oportunidade.

Todas as contribuições são bem-vindas, seja o apadrinhamento total de uma criança ou um contributo mais pequeno.

Os dados de  NIB/IBAN da ARAL são os seguintes:

Associação de Residentes do Alto do Lumiar

BPI – IBAN – 0010 0000 38335490001 70

Para qualquer outra questão não hesite em contactar-nos.

Ainda a questão das “ecoilhas”…

A ARAL, como Vice-presidente da  Direcção da FAMALIS – Federação das Associações de Moradores, participou numa reunião com o Sr. Vice-Presidente da CML, Duarte Cordeiro, na qual entre outros assuntos foi abordada a questão do  sistema de remoção de lixo recentemente instalado exclusivamente junto dos PER 9 e 12 da Alta de Lisboa (ecoilhas).

De acordo com Pedro Vaz, assessor do Sr. Vice-Presidente, esta situação será  “revertida assim que conseguirmos solucionar a questão da salubridade e organização das casas do lixo onde existiam problemas” .

Não sabemos quando (aguardamos mais informações da CML) mas vamos (ARAL e FAMALIS) acompanhar este processo com muita atenção até à reposição da situação anterior.

Alta de Lisboa_Alam Musica

A Alta de Lisboa tem moradores de 1ª e de 2ª (segundo a Direcção Municipal de Higiene Urbana da C.M.L.)

Supostamente um bairro representa uma parte delimitada de uma localidade, com ligações sociais particulares e dinâmicas próprias. Independente das diferentes características de cada bairro há um factor que o torna único: a sua identidade e o sentimento de pertença de quem lá vive.

Uma das particularidades mais  enriquecedoras de um bairro é a sua diversidade e o respeito como todos vivem em conjunto (independentemente das diferenças dos vários membros da comunidade). Um ponto que não pode ser nunca tolerado ou aceite é que numa mesma comunidade haja tratamentos diferenciados os discriminadores, mais grave é a situação quando é a própria autarquia que os promove.

Refiro-me concretamente ao que a Direcção Municipal de Higiene Urbana(DMHU) da Câmara Municipal de Lisboa chama de “instalação de ecoilhas ” em determinadas zonas da Alta de Lisboa. O que são as “ecoilhas” o que isso significa e onde vão ser instaladas? Simples, deixa de haver recolha de lixo nos edifícios para passarem a haver contentores (as tais ecoilhas) onde os moradores tem de se deslocar para deixar os seus resíduos, tal só vai acontecer nos edifícios de realojamento (PER 9 e 12), em todos os outros edifícios tudo continua tal como está.

O impacto e repercussões desta medida vão muito além do uso indevido ou não das casas do lixo,  comportamentos errados combatem-se com medidas de sensibilização e educação dos moradores. Medidas irresponsáveis como esta geram indignação, revolta e perpetuam a estigmatização que determinadas franjas da população sentem todos os dias. A C.M.L. através da Direcção Municipal de Higiene Urbana em vez de combater , dá força a este sentimento.

Curiosamente esta medida foi implementada no maior secretismo,  a Gebalis, a Junta de Freguesia do Lumiar, o Grupo Comunitário da Alta de Lisboa foram informados destas alterações na véspera da sua implementação, quanto aos moradores depararam-se com um dado adquirido (como acontece tantas e tantas vezes), no dia 28 de Julho tinham recolha de lixo à porta de casa, no dia 29 tiveram que deixar o lixo nas tais “ecoilhas”.

Como morador da Alta de Lisboa e dirigente associativo não posso aceitar que haja cidadãos de 1ª e outros de 2ª no bairro onde habito. Esta é uma situação inaceitável que tem de ser revertida no mais curto espaço de tempo.

João Tito Basto – Vice-Presidente
ARAL – Associação de Residentes do Alto do Lumiar

Alta de Lisboa_Alam Musica

Vantagens para Sócios da ARAL

cartc3a3o-residente

Ao tornar-se sócio da ARAL, terá direito ao Cartão de Residente da Alta de Lisboa, o nosso cartão de sócio que lhe trará benefícios nos estabelecimentos comerciais e serviços aderentes, promovendo assim o comércio local e proporcionando compras mais em conta para os seus portadores.

Os sócios da ARAL têm ainda benefícios ao usufruir das actividades organizadas pela associação, havendo sempre um preço para sócios e outro para não sócios, o primeiro com direito a um desconto.

Por outro lado, terá ainda a possibilidade de nos auxiliar a defender os interesses dos residentes da Alta de Lisboa e a melhorar as condições do bairro, trazendo-nos sugestões de quem vive as necessidades e tem interesses na primeira pessoa.

Saiba como ajudar a ARAL

Uma forma de contribuir e apoiar o trabalho realizado pela ARAL, é no momento de RECEBER o IRS.

Este ano, ajude a ARAL com o seu IRS! É fácil …Para além de consignar os 0,5% na sua declaração, pode ajudar-nos com um donativo directo.

As verbas resultantes destes donativos serão uma importante contribuição para a continuidade da missão da ARAL, permitindo-nos manter os nossos projectos Desportivos (Rugby, Basquetebol, Jiu-Jitsu, Judo), de Educação  (Sala de Estudo), de Ocupação de Tempos Livres (Campos de Férias para crianças e jovens desfavorecidos),de Dinamização social e económica (realização mensal do Urban Market Alta de Lisboa ) e muito mais. Ajude-nos a afastar esta frágil condição financeira que abraçamos diariamente.

Agradecemos a sua generosidade, e já agora, divulgue esta informação junto dos seus amigos e familiares desafiando-os a participarem também. Todos juntos, fazemos a diferença!

No caso de dúvidas, contacte-nos através do 218 267 585 ou aralumiar@gmail.com

irs 2

Uma ideia para a Alta – 5

Parque Oeste – Estamos perante um dos maiores parques existentes na cidade de Lisboa e com toda a certeza perante o maior parque existente na freguesia de Santa Clara.

Algumas, ideias para tornar o parque mais atractivo para, a população:

  • Melhorar o do circuito de manutenção, no cimo do parque, junto ao quiosque, assim como ao longo do parque, esta melhoria tem muito a ver com questões de manutenção, mas também de cidadania;
  • Melhorar o terreno, onde se encontra o circuito de manutenção, junto ao quiosque, pois o mesmo ou há-de estar com muita lama e poças de água, durante os meses de inverno ou com muito pó, pedras e areias soltas, nos meses mais quentes, mas também porque os aparelhos se encontram degradados, provavelmente por má utilização;
  • Melhorar a manutenção dos relvados, pois os mesmos estão, de peladas, talvez com fungos;
  • Melhorar a manutenção das árvores e arbustos, falta de poda, como por exemplo rotunda onde ar árvores estão de tal maneira grandes que fazer a rotunda a pé pelo passeio se torna inseguro;
  • Efectuar uma manutenção, limpeza dos vários lagos existentes, pois os mesmos estão com água impropria com um cheiro nauseabundo e com muitos detritos, assim como a colocação de placas de proibição de utilização do lago e de perigo;
  • A plataforma em madeira, um espaço excelente para fazer os mais variados espectáculos, as mais variadas actividades, tem o piso degradado, com buracos colocando em risco as transeuntes que por ali passam;
  • Manutenção de caminhos, por folhas no piso, assim como por falta de iluminação;

O parque é um espaço inseguro, um espaço como este só é seguro com a utilização permanente das pessoas, se o espaço for mais cuidado talvez chame mais pessoas.

A verdade é que já muita gente utiliza o parque, mas precisamos que o parque seja para toda a população e para que a mesma não se desloque para outros parques existentes em Lisboa

Quando teremos um parque, onde a população possa brincar, passear, praticar actividade física e cultural? 

Lourenço Roque

 

Resultado de contactos com os nossos associados, outros moradores e pessoas que trabalham na Alta de Lisboa, fomos compilando um conjunto de ideias que foram sendo partilhadas connosco e que julgamos pertinente partilhar com todos.
Designámos esta compilação de Uma ideia para a Alta de Lisboa e iremos partilhar regularmente convosco, aqui e por outras vias, estas ideias / sugestões.

Uma ideia para a Alta – 4

Um dos equipamentos em falta na Alta é o parque infantil do Parque Oeste. Na realidade, o espaço já estaria escolhido, conforme se pode constatar nas plantas. Só não se compreende por que ainda não foi construído.

É um equipamento fundamental e essencial para as famílias e para a dinamização do Parque Oeste e que permitiria uma maior apropriação e vivência do Parque.

José Almeida