Bairro de Letras: Dias Mundiais da Poesia e da Árvore

Hoje, 21 de Março, comemoram-se os Dia Mundiais da Poesia e da  Árvore. E porque a ARAL não quer que este dia passe sem lhe ser dado a devida atenção, aliamos a Poesia à Árvore, e apresentamos hoje um lindo poema de António Ramos Rosa. 
 

Árvore Aberta
 
Dobrei teus pulsos a dura aranha
do teu corpo
a tua árvore
faca que rasgou a barreira do ventre
a tua face abrindo-se como um barco
amei-te tempestade de ossos e de nervos
contra ti
contra ti

exílio
pátria sobre o chão
e fuga
 
furiosa  e  suave  lâmina  animada
bebida  a  jactos
aranha  alta  e  linda
enclavinhada
destilando  o  suor  a  baba  o  vinho  a  seiva
o estrépito  da  primavera
de uma árvore que se abre
no silêncio
 
António Ramos Rosa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s