Cine Cidade

cinecidade1.jpg

Uma iniciativa do blog Viver na Alta de Lisboa com apoio da SGAL, a ter lugar na próxima sexta-feira dia 28 de Março, com a presença do Arqº João Luís Carrilho da Graça e visionamento do filme Playtime, de Jacques Tati.

Este ciclo irá decorrer no Salão de Inverno da Academia Portuguesa da História, na Quinta das Conchas e dos Lilazes, à Alameda das Linhas de Torres.

Para mais informações: Blog Viver na Alta de Lisboa

Escutismo no Alto do Lumiar

aep.jpg

A ARAL está dar inicio ao processo de criação de um grupo de Escuteiros da Associação dos Escoteiros de Portugal no Alto do Lumiar.

Se é, ou já foi Escuteiro, se deseja participar nesta aventura e se vive na nossa zona, contacte-nos para aralumiar(@)gmail.com.

Esperamos por si!

Aconselhamos a leitura de uma entrevista efectuada ao Sr. Leonel Gonçalves pelo site das Memórias com Vida. O Sr. Leonel é o catalizador desta iniciativa e foi quem lançou este desafio conjunto à ARAL.

Divisão de Polícia

É muito importante sabermos qual será a resposta da CML face à sugestão efectuada pela Junta de Freguesia do Lumiar sobre a instalação da Divisão Policial no equipamento construido para o efeito na Av. Maria Helena Vieira da Silva.

A operacionalização desta divisão (e não esquadra) com efectivos policiais para o efeito e a respectiva implementação do programa de “Polícia de proximidade” em toda a sua área de actuação, é fulcral para a estabilização e boa vivência do nosso bairro, e como tal deverá ser algo em que todos deveremos ter muita atenção.

Perceber Lisboa

lisboa.jpg

 

Como poderá a CML revitalizar uma Baixa-Chiado e receber a transferência de uma zona ribeirinha, se mostra uma total incapacidade na gestão de projectos da envergadura de uma “Alta de Lisboa“?.

Como poderá uma câmara individada e burocratizada como a CML, fazer face a tantos projectos estruturantes ao mesmo tempo? Para quê dar mais responsabilidades a um orgão que não consegue por si só gerir os compromissos, as responsabilidades e os activos que têm?

São perguntas que me faço diáriamente e às quais ainda não consegui obter qualquer resposta. Alguém sabe?

Carris – 2 anos depois…

Há cerca de dois anos, mais concretamente em Julho de 2005, um morador do Alto do Lumiar contactou o Provedor dos Clientes da Carris para saber o porquê de algumas paragens de autocarro não terem protecção para os sues utentes.

Dois anos depois nada aconteceu. Na zona e sem grande procura encontrei 4 paragens sem protecção

É lamentável que uma instituição que deve servir a cidade e neste caso concreto uma zona com aproximadamente 24 000 habitantes não tenha ainda resolvido estes casos.

Mais grave é o facto de ser detentora de um monopólio cerceando deste modo a possibilidade de os residentes em Lisboa e aqueles que nos visitam em trabalho ou lazer não terem alternativa.

A Carris assume que não deve prestar contas a ninguém e trata os sues utentes de uma forma no mínimo incorrecta (para evitar outros adjectivos). É importante considerar outra forma de governo para a Carris e mecanismos para auscultar as opiniões dos utentes e residentes de Lisboa.